O que podemos dizer no lugar de “eu não estou afim”

Com muita frequência permitimos que nosso humor defina o rumo de nossas vidas. O que leva à procrastinação, falta de exercício, alimentação desregrada, distrações constantes e muito mais.

O Humor é um péssimo indicador para saber se você deve ou não fazer alguma coisa.

  • Você quer escrever um livro e se compromete a escrever toda manhã. Quando chega a hora de escrever, você sente vontade de dar uma olhada nos seus sites favoritos e não está realmente afim de escrever. Então você deixa para depois. Toda procrastinação funciona assim.
  • Você diz para si mesmo que vai malhar hoje… mas quando chega a hora, você está cansado. Então você deixa pra lá e diz que vai fazer isso amanhã.
  • Você planeja meditar, mas ao invés disso, fica se distraindo com seu celular. Olhar seu celular é uma coisa que você sempre está afim de fazer, já a meditação, nem tanto.
  • Você cria um plano de alimentação saudável para a semana, mas ao longo da tarde você fica com vontade de beliscar alguma coisa mais interessante, e come um salgadinho ou um chocolate. Você geralmente não está afim de comer vegetais, mas sempre está afim de alguma coisa frita, gordurosa ou doce.

Permitir que nosso humor dite as nossas ações nos leva a procrastinação, distração, falta de exercício, alimentação desregrada e maus hábitos.

Qual seria uma maneira melhor? Use critérios mais inteligentes para decidir suas ações, por exemplo: se algo vai levar você a atingir o que você almeja, se faz bem para a sua saúde ou se ajuda outras pessoas. Tome as decisões com antecedência e não de ouvidos ao seu humor.

Quando chegar a hora da ação,  ao invés de dizer “eu não estou afim” (ou não dizer nada, mas ser guiado pelo seu humor), diga um ou mais de um destes:

  1. Está nos meus planos, eu preciso fazer isso.
  2. Meu eu do passado disse para eu fazer isso, e o futuro eu vai me agradecer, então vou fazer isso.
  3. Uma vez que eu começar, ficarei feliz por isso. Tudo o que eu tenho que fazer é dar este pequeno primeiro passo.
  4. Eu não preciso decidir sobre isso, ou pensar no assunto. Eu já decidi.
  5. Isso é um ato de compaixão por mim mesmo. Um ato de amor.
  6. Eu estou fazendo isso por outras pessoas, para ser um exemplo para os outros e para fazer um mundo melhor.
  7. Aham, “só dessa vez” não vai doer… Não vou cair na velha armadilha dos pensamentos.
  8. A hora chegou, vou trabalhar como um profissional.

Os melhores escritores, melhores atletas, melhores empresários… eles não fazem seus trabalhos ou exercícios apenas quando “estão no clima”. Quando estão afim. Eles comparecem todos os dias e trabalham duro. É com essa abordagem que você vai tratar as suas decisões de hoje em diante: Esteja lá conforme o planejado e faça o que precisa ser feito.

Você vai finalizar uma tonelada de coisas, realizar coisas maravilhosas, estar em forma e meditas como um mestre Zen. Que bela lista de benefícios para uma pequena e poderosa mudança de hábito, você não acha?

 

A foto que ilustra este texto é da autora Monique Broekhuisen. Imagem original e informações sobre direitos de utilização aqui.

Publicações relacionadas:

O Zen do Fazer "Antes da iluminação; corte lenha, carregue água. Após a iluminação; corte lenha, carregue água." ~ Provérbio Zen No caos do mundo moderno, há beleza...
Em defesa dos limites Nós vivemos em um mundo de abundância que muitas vezes vai além do excessivo. Podemos comprar qualquer coisa a qualquer hora, consumir tanta internet ...
11 maneiras criativas de evitar tornar-se um worka... Workaholic é uma gíria em inglês que significa alguém viciado em trabalho; um trabalhador compulsivo e dependente do trabalho. As pessoas viciadas em ...
A mente flexível Quando paro para refletir sobre como sou muito mais feliz nos dias de hoje, comparado com a vida que eu levava há alguns anos atrás, percebo que nem t...

Comentários no Facebook