Um guia para superar a procrastinação e encontrar foco

Todos nós procrastinamos. A questão é como (ou se) conseguiremos superar a tendência a procrastinar, e se encontraremos foco.
Isso é importante: Nossa vida é breve e limitada. Não precisamos ser robôs plenamente produtivos, mas viver atrás de conforto, distrações e com medo das tarefas difíceis não é a melhor maneira de gastar nossas vidas.

Nós podemos enfrentar esses medos. Podemos aprender a lidar com eles conscientemente. E fazendo isso, podemos desenvolver a habilidade de retomar com coragem para o trabalho que mais importa em nossas vidas, criar algo importante, algo que ajude o mundo nem que seja só um pouquinho.

Distração e fuga não são hábitos interessantes. Vamos aprender a superá-los e encontrar foco para criar.

Os medos da procrastinação

Por que fugimos das tarefas difíceis? Por causa dos medos:

  • De não saber o que estamos fazendo.
  • De errar e ter nossa reputação abalada.
  • Que vamos obter sucesso e só então teremos que enfrentar uma situação ameaçadora.
  • Que a tarefa será muito difícil e desconfortável.

Basicamente, temos medo do desconforto e da insegurança. Queremos conforto segurança e distrações como e-mail, mídias socais, sites de notícias e blogs que são fáceis e nós sabemos o que fazer com ele. Muito bem. Distrações são sempre muito mais tentadoras do que o trabalho difícil, muito mais confortável que enfrentar medos.

Nós todos temos medos, mas nosso hábito é fugir deles. Evitamos até mesmo pensar sobre eles. Nossas mentes são muito boas nisso.

Nos distraímos e esquecemos completamente o que deveríamos estar fazendo. Nossas mentes são boas em esquecer e fugir.

Tentamos focar, mas então, imediatamente sentimos uma necessidade de mudar pra outra coisa, porque permanecer nisso é desconfortável. Nossa mente ama conforto, odeia desconforto, e vai correr para o conforto sempre, se permitirmos.

Então é por isso que procrastinamos… mas como superar isso?

Superando a procrastinação

Nossa mente é muito boa em fugir do desconforto, e na maioria das vezes nem percebemos que isso está acontecendo. Nós apenas sentimos uma urgência de fazer outra coisa, e seguimos este impulso imediatamente.

O truque então, é enxergar quando estamos prestes a mudar. Precisamos perceber o momento em que esta urgência surgir.

Então precisamos pausar, e enfrentar este impulso com atenção e consciência, não o contrário.

Como fazer:

  1. Crie um espaço para praticar. Faça uma seção de não-procrastinação uma vez ao dia para praticar. Escolha uma tarefa importante (qualquer uma serve – uma que você vem deixando para depois é uma boa escolha). Programe um timer para 5 minutos, ou 10 se você estiver confiante. Comprometa-se a não fazer outra coisa senão a sua tarefa importante, ao longo destes 5 minutos.
  2. Não se permita mudar. Livre-se das distrações e tenha por perto apenas o que você precisa para completar esta única tarefa. Você não é multi tarefa. Quando você sentir a urgência de mudar pra outra atividade (“quando”, não “se”) , perceba isso! E não faça nada a respeito deste impulso. Somos capazes de sentir um impulso e não fazer nada sobre isso. Que libertador!
  3. Permaneça com a urgência. Ao invés de agir, ignore este sentimento de urgência… Apenas fique com ele. Sente e sinta como ele é. Perceba o medo que você está enfrentando. Perceba o desconforto, o tédio, o medo, a sensação de estar intimidado, sobrecarregado, confuso ou se sentindo incompetente. Apenas fique com essa sensação e seja curioso sobre o reflexo físico disso. Como você sente a energia do seu corpo nesse momento?
  4. Retorne para a tarefa. Após ficar parado por um minuto com a urgência e o desconforto, eles provavelmente passarão. Simplesmente retorne seu foco para a sua tarefa. Você não coçou a coceira, e a coceira não é algo assim tão importante.

Fazendo esse trabalho uma vez por dia, você pode começar a desenvolver a confiança de que você continuará bem mesmo se não coçar a coceira. Que você será capaz de lidar com a urgência sem ter que agir sobre isso e que você vai estar bem mesmo após enfrentar o desconforto de uma tarefa difícil. Isso é uma bela conquista.

Encontrando foco

Focar em apenas uma coisa é algo incrivelmente difícil de se fazer. Seja quando você quer focar em escrever um relatório, fazer um desenho, praticar música, fazer uma leitura, meditar, prestar atenção na sua respiração… Sua mente tem o hábito de mudar para outra coisa.

Focar, então, é uma questão de praticar a permanência.

Nas sessões de não-procrastinação que eu descrevi acima, falamos sobre como praticar a permanência. Complementando isso, gostaria de oferecer mais algumas dicas práticas:

  1. Tenha uma motivação profunda. A coisa no qual você está focando não deve ser apenas “boa”. Deve ser algo realmente significativo para você.
  2. Lembre-se das suas motivações ao iniciar. Esta tarefa não contém apenas medo… existe muito amor nela também. Deixe o amor guiá-lo através do medo.
  3. Utilize motivações externas se necessário. Apesar do amor ser o melhor motivador, as vezes você apenas não está tão apaixonada assim. Então use prazos e mantenha um acompanhamento do que precisa ser feito. Prometa enviar um email para um amigo ou colega na data prevista para conclusão, ou então você terá que fazer algo vergonhoso. Coloque sua reputação em jogo. Junte-se a um grupo. Não se permita fugir.
  4. Permita-se entrar em estado de Fluxo. Este é o estado mental em que você está imerso na tarefa. É fácil estar mais ou menos na tarefa, com a sua mente divagando por aí querendo outra coisa. Mas se você conseguir estar 100% nesta tarefa, você vai amar o que está fazendo. Isso significa colocar todas as distrações de lado e realmente colocar a sua mente na tarefa. Eu acho útil ter tarefas desafiadoras, que me obriguem a imaginar. Por exemplo, se eu estou escrevendo uma história, eu deveria imaginar como a história está acontecendo, visualmente, não apenas pensar sobre palavras.

Foco não é uma qualidade mágica que você conquista do nada. É uma habilidade que exige prática diária, e você fica melhor, mas nunca domina completamente. Você vai escorregar e ficar desmotivado, mas pode apenas praticar um pouco mais.

No fim das contas, toda a prática será recompensada, porque você aprende a focar nas coisas que realmente importam. E essa é uma vida que vale a pena viver, segundo a minha experiência.

 

A foto que ilustra este texto é da autora Japanexperterna.se. Imagem original e informações sobre direitos de utilização aqui.

Publicações relacionadas:

3 problemas que os sistemas de produtividade não v... Se você é como eu, está sempre procurando pelo sistema produtivo perfeito. Que infelizmente não existe. O problema não é o sistema produtivo. O pro...
Pare de ler e comece a praticar Aprendemos mais fazendo do que lendo. Esta é uma afirmação simplificada, claro porque ler nos ensina muito, mas é na prática que aprendemos de verd...
Como não fazer tudo Todos queremos fazer muito: atender todas as solicitações que recebemos por e-mail, completar nossa interminável lista de tarefas e projetos, ajudar t...
8 experimentos sobre motivação Eu estive conversando recentemente com uma pessoa de 19 anos que tem enfrentado problemas motivacionais. O problema dela é assim: Ela fica empolgad...

Comentários no Facebook